março 03, 2014

Resenha - Todo Dia - David Levithan





Autor (a): David Levithan 

Editora: Galera Record


Ano: 2013 
  
Páginas: 279 
Classificação :



Sinopse:  Neste novo romance,
David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.






   Neste livro nós conhecemos um ser chamado A. Digo um ser, porque não temos a definição do que A é, se é um ser sobrenatural ou humano, um alienígena.  Nada. Apenas sabemos que ele se denomina A tem 16 anos e vive no corpo de uma pessoa apenas por um dia. Independe de ser homem, mulher ou criança. Ele não tem sexo.
    A vive um dia após o outro, em vidas diferentes, e tenta ao máximo não interferir em nada da vida da pessoa no dia em vive por ela. Ele nunca repete seu  hospedeiro, e o ciclo de mudança de corpo  nunca termina, ele vive assim desde que nasceu.
    Mas as coisas mudam quando ele acorda no corpo de um garoto chamado Justin, e conhece Rhiannon, a namorada de Justin.
    A faz algo que nunca fez antes e passa um dia diferente com Rhiannon, algo que o namorado da garota nunca faria. E no dia seguinte, o garoto age normalmente, fazendo com que Rhiannon se pergunte, onde foi parar seu namorado carinhoso e atencioso do dia anterior.
    A acaba se apaixonando pela garota, e passa todos os dias tentando de alguma forma entrar em contato com ela. Colocando até os seus hospedeiros em encrencas kk

    
   
    O livro tem uma temática diferente de tudo o que já li, o 
autor inovou e escreveu um romance lindo, com temas importantes, como homossexualismo, vicio em drogas, problemas familiares, depressão na adolescência. São temas importantes para reflexão, pois nem sempre os corpos em que A vive, são pessoas perfeitas, com casinhas lindas e uma família feliz. Ele habita todo tipo de gente, pessoas com problemas de depressão, problemas familiares, pessoas com obesidade mórbida, e tem que passar, e sentir tudo  o que os hospedeiros sentem. Em determinado momento o autor nos põem a pensar se A deveria interferir, tentar fazer algo para melhorar a vida do hospedeiro.
    



    A forma da escrita do David também é ótima, amei com 
certeza, e sei  que todos vão ama-lo.
   Apesar de ter um que surrealista, tem aspectos bem reais na história. È um dos meus favoritos, por ter me surpreendido de uma forma positiva. Por tudo  que é mostrado na história, e até mesmo o próprio A, que me cativou  desde o começo.


  Você passa o livro todo sabendo onde o final vai dar, mas ainda fica com aquela pontinha de esperança com relação ao relacionamento de A com Rhiannon.
   Um belo romance, que mostra até onde você se sacrificaria para fazer a quem ama feliz.

                               


Sobre o Autor:
   
David Levithan é um editor de livros infantis e um autor
norte-americano premiado. Publicou o seu primeiro livro, Boy Meets Boy, em 2003
    A obra de Levithan tem provocado protestos de conservadores de direita. Levitham é um dos fundadores da editora PUSH, dedicada à Literatura para Jovens Adultos, e que é uma das marcas da Scholastic Press.



Nadia Oliveira



                                                    Postado Por: